Por Amesterdão - Parte 1

11:00

Passei umas semaninhas sem vir ao blog mas prometo que foram por boas razões! O mês de Maio, juntamente com o inicio de Junho, foi bastante produtivo e atarefado. E não me estou a queixar!

Mas pelo titulo do post (ou se me seguem pelo instagram) já podem perceber um dos motivos pelo qual estive mais afastada. No inicio do ano, depois de ter feito a operação ao coração, eu e uma amiga, não esperámos mais tempo e corremos para um agência de viagens para planear a nossa. 


Foi tudo muito simples, a agência fez praticamente tudo e, nós, só tínhamos que ir pagando e, claro, esperar pelo dia da partida.
Esse dia chegou bem mais rápido do que esperávamos, e logo era dia 7 de Junho.

Escolhemos, para nossa primeira viagem, Amesterdão e, depois de lá ter ido, não me arrependo nada!

Rua do Hans Brinker Hostel

A cidade de Amesterdão é simplesmente linda, as casas, as pontes, até as pessoa são lindas (e super simpáticas e prestáveis!). 
Quando lá chegamos, foi um desespero! Em Amesterdão, as ruas são, literalmente, todas iguais e isso baralhou-nos bastante! Queríamos encontrar o nosso hostel mas ficamos 2 horas perdidas sem saber para onde virar. O que nos salvou, um bocadinho, foi mesmo o GPS no telemóvel e a simpatia de algumas pessoas que nos ajudaram. E a verdade é que o nosso hostel é bem fácil de achar e fácil de decorar onde fica pois é bem perto do centro da cidade.

Ficámos no Hans Brinker Hostel, (que viemos depois a descobrir, por um brasileiro que trabalhava no hostel, que existe um Hans Brinker também em Lisboa!) e, confesso que, ao inicio, foi um choque pois os quartos são super básicos, duas camas, dois cacifos e uma casa de banho, apenas e só!
Mas a verdade é que este Hostel ficará para sempre na minha memória. Pode não ser o melhor em termos de quartos mas não poderíamos ter ficado num hostel mais acolhedor e mais "especifico" para mim e para a minha amiga!

Com "especifico" refiro-me ao facto de que este hostel é direccionado para jovens (o que não signifique não hajam pessoas mais velhas). Este Hostel tinha um bar próprio onde, em diversas horas, existiam as "Happy Hours" em que até avisavam nos quartos que esta iria começar, tinha um pátio onde era o único sitio onde se podia fumar (ótimo para eu não levar com o fumo dos outros), e até Bear Pong era possível nós jogarmos, pois o bar possuía uns copos próprios e um preço especial para a bebida com que se ia jogar! O mais importante disto tudo é que ele possui uma discoteca no andar de baixo, literalmente uma discoteca, onde apenas podem entrar os clientes do Hostel, não é incrível?
Mesmo que eu tente vos explicar tudo o que é aquele Hostel, nunca vou conseguir transmitir-vos o que eu senti quando lá estava e o que sinto agora, sabendo que, provavelmente, já não vou lá voltar.







Umas das coisas que mais me surpreendeu um Amesterdão foi a temperatura. Amesterdão é conhecida por ser uma cidade fria e "escura" mas quando lá chegamos, deparamos-nos com o contrário. Estava super calor, um calor que ainda não tinha sentido este ano, em Portugal, e estava bastante sol.
O que não aconteceu no dia a seguir. Já estavam 19º graus, algum vento e até choveu, pelo que tive que comprar uma sombrinha de Amesterdão, o que serviu como "recuerdo".
Nos restantes dias, esteve aquele tempo em que nem frio nem calor está, sabem? Aqueles dias em que se está bem de alças mas com o casaco na mala para o caso de fazer um bocadinho de frio.







Amesterdão é conhecida por ser uma cidade com uma mente mais aberta e feliz. Em Amesterdão é legal fumar droga e também é legal a prostituição, coisas que são tabu de falar em Portugal. Em qualquer rua que passamos, o cheiro a droga é notável e é perfeitamente normal ver-se pessoas a fazê-lo. Já a prostituição é legal, sim, mas não se vê isso durante o dia, e apenas acontece na Red Light District. 
A Red Light District era uma coisa que não me despertava muita curiosidade, para ser sincera, mas depois da lá ter ido, fiquei bastante surpreendida. Não se pode filmas estas ruas para a segurança das "meninas" e houve até um incidente com uma mulher que tirou uma foto e a "menina" não gostou e ainda atirou com uma garrafa de água à mulher, o que é compreensível visto que existem varias avisos de que não se pode fotografar. Este "district" é um mundo à parte de Portugal e até outros países, ninguém tem a mínima noção do que acontece lá e mesmo que eu vos tente explicar, não é a mesma coisa, só vendo com os próprios olhos. 
Mas posso contar algumas coisinhas. A Red Light Distric são duas ruas divididas com um canal, onde, ao longo dessas ruas, existem varias "meninas" (não despidas, mas com roupa interior) dentro de uns quartos, apenas fechados com um a porta com um vidro, para que se possa ver a rapariga e ela a nós. Mas também existem vários cafés com esplanadas e museus ao longo das ruas.  








As casas são outro ponto turístico de Amesterdão, e isto porque antigamente os terrenos eram muito caros então as casa eram feitas para cima, em vez de para o lado, o que, hoje, é muito interessante ver casas super pequenas de largura, todas juntas. Por serem casas estreitas e com escadas também muito estreitas é quase impossível subir objetos ou moveis e para resolverem esse problema, instalaram uma espécie de gancho na parte superior das casas, onde se colocam uma espécie de corda para poder levantar os moveis e poder  colocá-los nas casas.
Também existem casa flutuantes, ou seja, como se fossem barcos, mas são literalmente casas com electricidade, água, e tudo o que uma casa normal precisa.






A quantidade de bicicletas é inacreditável como dá para perceber por algumas fotos, tal como a quantidade de vezes que íamos sendo atropeladas por bicicletas também ser inacreditável. As pessoas lá fazem a vida toda em bicicletas e isso mostra bastaste sobre o carácter da cidade.

A mentalidade das pessoas que vivem em Amesterdão é muito à frente da nossa, não só pelo que já vos falei mas também pelo factor ambiente. São raros os carros pela cidade e o que se vê mais são as bicicletas e os transportes públicos que estão sempre cheios. Também pelo facto de não haver qualquer tipo de lixo no chão, as ruas estão sempre limpas pois existem varias pessoas que, diariamente, vão apanhar o lixo do chão, como seu trabalho. 

As pessoas são, em geral, super simpáticas e atenciosas e foram raras as pessoas que não nos quiseram ajudar ou que foram rudes, mas também, todos temos dias menos bons.

Eu adorei toda a experiência que foi a minha primeira viagem e ainda mais até Amesterdão, pela qual eu fiquei apaixonada e com uma vontade enorme de lá voltar, até voltar ao mesmo hostel.

Este foi o primeiro post sobre Amesterdão, pois ainda há imensa coisa para dizer sobre esta cidade linda. Podem ver mais sobre a minha estadia lá, através dos instastories, no meu instagram.
Fiquem à espera dos próximos posts!


Já visitaram Amesterdão?
Ficaram com vontade de conhecer?
Ansiosos para saber mais?

Beijinhos, Mónica.

You Might Also Like

5 comentários

  1. Quero tanto, tanto ir a Amsterdão! Ao ler o teu post e ver as fotos da cidade fiquei ainda com mais vontade!

    Beijinhos,
    Ju · www.lifewithju.com

    ResponderEliminar
  2. Cara, que lugar lindo! Não vou negar: deu muita vontade de visitar, parece ser lindo e as pessoas parecem bem legais. Interessante isso da Red Light District, nunca tinha ouvido falar sobre. Adorei o post, já quero parte 2!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderEliminar
  3. Já visitei Amesterdão duas vezes e voltava todos os anos para umas mini-férias. A cidade é super gira, fantásticos sítios para se comer e o ambiente é super descontraído! Ainda bem que gostaste :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Adoro e quero muito visitar! As fotos estão lindas, como sempre :D

    Kiss, Mariana Dezolt
    Messy Hair, Don’t Care

    ResponderEliminar
  5. Que bonitas paisagens! Adorava ir lá um dia!
    Um beijinho*
    http://meublog.com/

    ResponderEliminar

Instagram