Vamos contribuir para a Animalife? - Black Rainbow

17 de março de 2018

Vamos contribuir para a Animalife?

Este post é diferente do habitual pois também fiz uma coisa que nunca tinha feito antes!
No dia 10 de Fevereiro fui, pela primeira vez, fazer voluntariado no continente para a angariação de bens alimentares para o Banco Solidário Animal da Animalife.  Gostei bastante e, sem duvida, que o voltarei a fazer. E ao longo da tarde fui reparando nos diferentes tipos de pessoas que nos apareciam lá e lembrei -me que seria engraçado fazer um post sobre isso mesmo.

Mas primeiro vou falar-vos um bocado sobre a Animalife:

"A Animalife é uma associação de âmbito nacional sem fins lucrativos, que foi criada em Outubro de 2011. Combate o abandono de animais de estimação atuando contra as suas causas, providenciando apoio a famílias carenciadas e pessoas sem abrigo com animais de estimação, bem como associações de proteção animal.
Muitas famílias passam por grandes dificuldades económicas e recebem ajuda alimentar de várias instituições de solidariedade. No entanto, não têm qualquer tipo de apoio para os seus animais. Essas dificuldades levam muitas vezes a que os animais sejam entregues aos centros de recolha oficial (canis) ou às associações de recolha e adoção. Tanto uns como outros estão sobrelotados, o que faz com que muitas vezes não sejam uma solução viável."

Foi a primeira vez que fiz este tipo de voluntariado e, com isso, confesso que fiquei bastante surpreendida com a quantidade de diferentes atitudes perante a minha abordagem para a angariação de alimentos e agora vou falar-vos de algumas.

1- "Ah sim, obrigada!"
     Este tipo de pessoas ocupam 80% desta lista. São aquelas pessoas que pegam no panfletos, fingem que estão a ler e dizem obrigado mas percebesse perfeitamente que não querem saber daquilo para nada. Aqueles que deitam o papel para o chão quando saem do supermercado! E claro, saem do mesmo sem doar nada para a organização.

2- "Eu já tenho lá um para cuidar!"
     Juro que este tipo de pessoas, são os que mais me irritam! Quando os abordamos sobre a campanha e dizem: eu já lá tenho um (ou vários) em casa para tomar conta, e riem-se como se fizesse algum sentido. O facto de terem animais em casa só "deveria" de contribuir para a vontade de querer ajudar pois sabem a felicidade que os animais nos trazem e as necessidades que os mesmo têm. Eu, tendo um animal em casa, faz me perceber que é necessário ajudar outros que não têm a mesmo sorte que a minha cadela tem, que tem um sitio para dormir, comida todos os dias e carinho.

3- Anti-Animais (?)
    Graças a Deus, deparei-me com poucas pessoas desta categoria. Mas dessas poucas houve um senhor que disse exatamente "Não tenho animais e sou contra animais!". Alguém que me explique como é possível ser contra animais? Claro que, naquele momento, eu não podia responder ao senhor pois estava numa campanha e o mesmo não poderia acontecer. Mas a verdade é que fiquei bastante ofendida com o comentário e nem quis acreditar nele. Mas como já disse, foram raras as pessoas desta género, felizmente!

4- Os que passam o mais longe possível
     Sabem aquelas pessoas que nos evitam à força toda e até entram na loja em frente só para não nos enfrentarem? Exato. Este tipo de pessoas fez me rir bastante durante as 5 horas que estive na campanha. É simplesmente hilariante ver as pessoas a "fugirem" de nós como se tivéssemos alguma doença contagiante.

5- Os apreciadores destas campanhas
     Infelizmente, este tipo de pessoas também é bastante reduzido. Apenas encontrei, no máximo, 5 pessoas assim. Mas são as que mais nos marcam e nos sensibilizam. Aquelas pessoas que se preocupam bastante ao ponto de perguntar quais os bens mais necessários e no fim acabam por trazer um pouco de tudo. Ou também aquelas pessoas que nos dizem que deveriam de existir mais campanhas como esta e que até nos agradecem pelo que estamos a fazer.

6- "Não é muito mas..."
    Estas pessoas são as que mais me "emocionam". São pessoas que, quando nos entregam o que conseguiram comprar para doar, vê-se mesmo a solidariedade que têm e o quanto gostariam de puder doar mais. Hoje em dia é normal não ter dinheiro suficiente para puder doar vários produtos para uma instituição, o que as pessoas não percebem é que mesmo com pouco estão a ajudar e isso é o que importa!

7- "Eu nem tenho animais"
    Outro comentário que ouvi bastante e que, na minha opinião, não faz qualquer sentido. O facto de não ter animais em seu encargo não significa que não se preocupe com o bem estar de outros. Talvez, o que estas pessoas precisam é de sentir o amor que alguns animais de estimação nos proporcionam.

8- "Ah, é para os animais!"
     O que vos vou contar surpreendeu-me bastante! Aconteceu-me, pelo menos, umas 2 vezes, chegar ao pé de uma pessoa e começar a dizer "gostaria de contribuir para o Banco Solidário..." essa pessoa continuar a andar como se nada fosse, contudo quando acabo a frase "... Animal" essa mesma pessoa, pega no panfleto, sorri e diz que sim, que ajudará. Engraçado que provavelmente se fosse para ajudar pessoas, estas não ajudavam mas como é para os animais tudo muda. Foi bastante surpreendente descobrir isto.

Neste dia aprendi imenso e tenciono a voltar a ajudar a Animalife!
Sei que, por vezes, é impossível ajudar uma instituição mas se o puderem fazer, não pensem duas vezes ainda mais se for para ajudar animais que precisam, pois os humanos conseguem pedir ajuda, já os animais não o conseguem fazer.


















Já alguma vez estiveram ajudaram uma organização assim?
Que tipo de pessoa são vocês?

Beijinhos, Mónica.

9 comentários:

  1. Animais eu ajudaria, mas nunca passei por nenhuma angariação para animais.

    ResponderEliminar
  2. Adorei o post e a partilha da tua experiência!
    Não conhecia a instituição nem nunca me deparei com este tipo de angariações, mas sem dúvida que ajudaria. Os animais merecem o melhor que lhes possamos dar.

    Beijinhos!
    MESSY GAZING

    ResponderEliminar
  3. Também já fiz esse tipo de voluntariado e apanhamos pessoas de todo o género e feitios, algumas irritam bastante mas pronto! Gostei de ler sobre a tua experiência!
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: @rititipi || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar
  4. Com certeza ajudaria! Um dos meus sonhos é criar um sítio para animais de rua.
    Convido você a conhecer o meu cantinho www.paraisopessoal.com

    ResponderEliminar
  5. Nunca fez esse tipo de voluntariado mas conheço esta associação e ajudo sempte que posso, com pouco mas sempre de coração.
    Há pessoas que simplesmente fazem comentários que não dão mesmo para compreender e deixam-me bastante "enojada". Mas pronto, continuemos a lutar por eles :)

    ResponderEliminar
  6. Sempre que posso ajudo, mesmo que seja pouco do pouco se faz muito.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. O vencedor é o "sou contra animais"! Deviam era ter vergonha de dizer isso. Eu, não fosse alérgica, quando estive meses há espera de "permissão" para poder trabalhar nos states, tinha-me voluntariado para ajudar no canil/gatil que visitei para adoptar um gatinho. (e onde se confirmou que sim, sou alérgica).

    ResponderEliminar
  8. Já fui voluntária da Animalife e, sinceramente, não é para mim. Sou muito explosiva quando as pessoas são mal-educadas e foi muito difícil ficar de bico fechado. E até hoje não sei o que é ser anti-animais, até porque os animais habitam connosco, temos responsabilidades para com eles e não somos o centro do universo.

    ResponderEliminar
  9. Fiz voluntariado numa associação de gatos, na minha cidade, e uma das atividades era a recolha de alimentos em supermercados. Encontrei todo o tipo de pessoas que mencionaste e mais alguns... ainda me lembro de um que me ficou entalado na garganta: "Animais? Ainda se fosse para ajudar crianças, cá agora animais!"... Sempre me renhi muito pela frase "o problema de uns não minimiza o problema dos outros" e, por isso, esta ficou gravada. Enfim, temos de tudo... mas também temos muito boa gente que gosta de ajudar, apesar de às vezes ser uma minoria...

    Beijinhos
    Andreia, ALL THE BRIGHT PLACES

    ResponderEliminar